Sempre que alguém chega pra trabalhar problemas de autoestima, sejam eles graves ou não, encontramos várias raízes no passado, no relacionamento com os pais, professores e outras figuras. São coisas que os adultos não têm consciência, e muitas vezes não tem a intenção, mas que podem mexer profundamente com a autoestima da criança, provocando sequelas pelo resto da vida. Desde já adianto que as sequelas e as raízes podem ser curadas, ainda mais quando se faz um trabalho bem feito com a EFT (Técnica para Autolimpeza Emocional – Clique Aqui e solicite o Manual Gratuito para aprender a eliminar emoções e pensamentos negativos em minutos!) para que não seja necessário carregar problemas pelo resto da vida.

Algumas coisas parecem bobagem, mas podem causar marcas. Vou exemplificar: Tive uma cliente que tinha dificuldades de relacionamento com amigos e com namorados ou candidatos a namorado. Investigando o passado, descobrimos algo, aparentemente bobo, mas que teve uma grande repercussão na sua autoestima.

Quando era criança, ela contava para a mãe fatos da escola e da sua vida que ela achava engraçado e super interessantes. A mãe, ao ouvir as histórias, tinha uma reação apática, não achava muita graça, ou dava uma risada meio forçada apenas para simular interesse. A filha percebia e ficava na dúvida: Será que minha história não foi interessante? Ela ouvia alguma coleguinha comentar que contou a história para mãe, e que a mãe morreu de rir. Ela mesma quando ia para a casa das amigas, sentia que quando contava histórias, a reação dos adultos era muito diferente.

As consequências disso para a criança foram as seguintes: “Eu conto uma história e minha mãe nem acha interessante. Eu não sou uma criança interessante. Se nem minha mãe acha que sou interessante, quem vai me achar?”

A partir daí, vejam as consequências. Quando era criança, se escondia, não queria fazer amizades porque pensava: “As pessoas não vão gostar de mim nem vão me achar interessante”. Quando cresceu e começou a ter vida social mais intensa, sempre lhe vinham pensamentos do tipo: “O que é que fulano (a), que é uma pessoa tão legal, pode ver em mim para ter amizade comigo? Me sinto inferior, não entendo como eles podem gostar de mim…” Ela mesma começava a sabotar os relacionamentos de amizade. Tratava mal as pessoas, recusava convites, e assim os amigos iam se afastando.

Quando conhecia algum rapaz ela conseguia conversar e ser divertida. Mas, no momento em que ela começava a se interessar pelo rapaz, passava a tratá-lo mal, com atitudes infantis e grosserias, para afastá-lo. O que estava por trás desse comportamento, que parece totalmente ilógico, era o seguinte: “Eu não sou uma pessoa interessante, e ele é uma pessoa muito legal, logo mais vai descobrir quem eu realmente sou, e aí vai se desinteressar. Eu mesma vou dar um jeito de afastá-lo para não ter que ser rejeitada depois.”

Estes pensamentos a princípio, não são claros. São vozes internas sutis e ao mesmo tempo extremamente poderosas, que influenciam o comportamento de uma forma muito intensa. Perceber esses pensamentos e sentimentos exige muitas vezes reflexão. O trabalho terapêutico ajuda a identificá-los, e a EFT pode ser utilizada para eliminar a força emocional de todos eles.

Algo aparentemente tão pequeno pode afetar uma criança. As crianças precisam de atenção e muitos elogios para fortalecer sua autoestima. As críticas devem ser abandonadas, evitadas ao máximo. Isso não significa ser permissivo e deixar a criança fazer tudo que quer. Impor limites também é ajudar a criança a crescer. Mas a princípio, o que deve ser feito é: Elogie, aprecie tudo que é bom na criança, e não dê atenção aos comportamentos negativos.

O que acontece com isso, é que a criança vai reforçar cada vez mais a parte positiva, e vai abandonar os comportamentos negativos pois estes não ganham atenção. Tudo que você dá atenção, tende a crescer. Por isso, escolha elogiar, apreciar os pontos positivos, e eles vão crescer. Isso pode ser usado em todas as áreas: Adestrar cães, se relacionar com o marido, filhos, colegas de trabalho, empregados…

O que aprendemos a fazer é justamente o contrário. Sempre que vemos um comportamento que julgamos negativo, repreendemos, damos atenção. E sempre que vemos um comportamento positivo, o elogio é escasso, ou mesmo inexistente. Existe ainda o pensamento: Não fez mais que sua obrigação em agir da forma correta, e por isso, não tem que ter elogio!

Outra cliente relatou dificuldades com a filha que já era adulta. Muita raiva na relação e vários problemas sérios. Ela tinha uma expectativa sobre a filha, queria que ela crescesse mais e mais profissionalmente. Isso é natural não é mesmo? Sim, mas quando a filha não atingia suas expectativas… Ela ficava com muita raiva. Se arranjasse um relacionamento que considerasse “inferior”, falava que não gostava do namorado, que ela era uma idiota por se relacionar com tal pessoa. Muitas críticas. O resultado? A filha fazia justamente tudo que ela odiava. Quanto mais atenção ao negativo, mais ele cresce.

Perguntei se ela elogiava e incentivava a filha quando era criança. Ela disse “sim, sempre que ela tirava um nove por exemplo, eu parabenizava e dizia: Parabéns minha filha, mas… Você consegue tirar dez, tenho certeza!

Falei então pra ela que, a mensagem recebida pela criança era: “Mesmo que eu faça o melhor que posso minha mãe nunca fica plenamente satisfeita. Tudo que eu faço nunca é o suficiente, sempre fica faltando algo.” E ela me confirmou que a filha falava exatamente isso dela.

Nesse caso, a pessoa pode desenvolver dois tipos de comportamento. Um deles é ficar tentando a vida inteira conseguir uma aprovação plena da mãe, fazendo tudo para agradá-la, e nunca chegando ao resultado desejado, gerando raiva, rejeição, culpa, frustração, sentimentos de insegurança em outras áreas e etc… Outro comportamento que pode ser adotado é: “Tudo que faço não é suficiente mesmo, eu vou é chutar o pau da barraca e fazer tudo contra, só pra fazer raiva, pra descontar a frustração e raiva que sinto, ela é minha mãe, quero testar e ver, ela deveria me aceitar de qualquer forma”. E aí você já pode imaginar as consequências de tudo isso…

Você pode utilizar a EFT (Clique Aqui e solicite o Manual Gratuito) para limpar todo  e qualquer tipo de sentimento negativo. Com relação a seus pais, é possível eliminar tudo que ficou guardado por não atingir suas expectativas. Com relação aos filhos, é possível limpar toda frustração, mágoa, e raiva por eles não se comportarem da forma que você gostaria. Isso cura relacionamentos, transforma vidas!

Um forte abraço!

André Lima.

PS.: Se você gostou desse artigo e acredita que esse conhecimento pode ajudar outras pessoas, então clica em Curtir em algum lugar dessa página. Vou ficar muito grato!