Muitas pessoas se perguntam o porquê de estarem sempre procrastinando, adiando a resolução de problemas, de não conseguirem tomar ações efetivas nem realizar tarefas que devem ser feitas, adiando sempre o que é inevitável ou algo que poderia beneficiar-lhes em relação à saúde ou financeiramente. Fazem resoluções do tipo “a partir de agora vou me organizar e fazer tal e tal coisa com disciplina” só que isto dura apenas uma semana, ou menos.

Existem vários aspectos envolvidos nisso. Consigo enxergar três deles com clareza: Ansiedade, autossabotagem e erro na escolha das metas. Todos eles estão relacionados entre si.

Esses fatores são apenas a ponta do iceberg de várias questões emocionais em conflito. A ansiedade deixa a pessoa sem concentração, pulando de atividade para atividade, deixando as coisas pela metade. O simples fato de pensar em enfrentar um problema ou uma tarefa já faz subir o nível de ansiedade. Então, para se manter mais tranquila, a pessoa adia o que tem que fazer, e isso dá uma sensação de tranquilidade temporária. É claro que a pessoa sabe que o problema não foi resolvido, o que vai gerar mais ansiedade, e, novamente, procrastinação.

A autossabotagem também tem muita influência sobre nossas atitudes. Segundo os conceitos que envolvem as teorias da EFT (Técnica para Autolimpeza Emocional – Clique Aqui e solicite o Manual Gratuito para aprender a eliminar emoções e pensamentos negativos em minutos!) quando nosso sistema energético está revertido em relação a algum problema, nós nos autossabotamos consistentemente. Isso acontece muito em casos de vícios, perda de peso, depressão, entre outros problemas. O que acontece é que, racionalmente a pessoa quer, sabe o que é melhor fazer, mas seu sistema energético, ou seja, sua resposta emocional inconsciente lhe diz para fazer justamente o contrário. E, acreditem, somos movidos pelas nossas emoções e não pela lógica. Se fosse pela lógica tudo seria muito fácil de resolver.

Quando estamos revertidos as terapias parecem produzir um resultado muito pequeno, até mesmo inexistente. Isto também ocorre com a EFT. A “frase de preparação” aliada às batidas no “ponto do karatê” servem para neutralizar, pelo menos temporariamente, a reversão psicológica, pois se esta estiver presente e não for neutralizada, nem adianta terminar a aplicação da técnica pois não vai haver resultado satisfatório. Com esta simples ferramenta conseguimos “reverter a reversão”, de forma que é aberta uma porta, pelo menos temporária, para que a EFT possa entrar e agir.

Contribuem muito também para essa autossabotagem, os ganhos secundários e algumas crenças que temos por trás de certos problemas. Exemplos:

  • Se eu deixar de fumar como vou fazer para suportar minha ansiedade? (Também tem o sentimento da perda do “amigo cigarro, companheiro que sempre está lá…”);
  • Se eu emagrecer as pessoas vão cobrar mais de mim socialmente;
  • Se eu não tiver mais depressão (Ou outra doença) não vou mais ter atenção.

Quanto à questão da escolha das metas, entendo que a maioria das pessoas não sabe exatamente o que quer. Pensam que querem algo quando, na verdade, os objetivos que desejam não são seus, são dos seus pais, da sociedade, da mulher, do marido, etc. Por falta de autoconhecimento a pessoa realmente não sabe que, na verdade, deseja outra coisa. Dessa forma, inconscientemente, se autossabota, procrastinando tudo o que poderia levar ao sucesso da atividade que pensa ser a ideal. Exemplo: Alguém que tenha vocação, mesmo que ainda não tenha consciência, para trabalhar com causas sociais, mas os pais têm uma empresa e todos acham muito natural (Inclusive a própria pessoa) que ela continue a tomar conta dos negócios da família. A tendência é que esta pessoa não tenha aquela vontade interior real para realizar o trabalho, e isso irá se refletir no seu comportamento, adiando o que tem que fazer, esquecendo de coisas importantes, se sentindo mal sem saber nem o porquê, tendo dificuldade de acordar para enfrentar o dia, etc. Chegará até a ser taxada de incompetente, de cabeça de vento; Dirão que ela não faz as coisas direito. Depois, um belo dia, descobre que gosta de fazer algo totalmente diferente, parte para a sua meta verdadeira e se torna super bem sucedida. Assim, não tem porque procrastinar. O trabalho se torna um prazer.

Existem várias outras questões emocionais por trás da autossabotagem e da procrastinação. Quem carrega sentimentos de culpa, por exemplo, mesmo que inconscientemente, tenderá a se sabotar para não conseguir sucesso, como forma de autopunição. Isso faz parecer que o sentimento de culpa diminuiu temporariamente. Claro que a pessoa não percebe isso com clareza. Ela simplesmente tenta fazer tudo corretamente, mas algo no seu interior é mais forte e ela acaba deixando. Esses sentimentos de culpa podem existir por coisas que você tenha feito ou por coisas que deixou de fazer.

Então, diante de tudo isso, como é que se faz? Como resolver? Não existe uma fórmula especial. Aplicar a EFT consiste basicamente em descobrir sentimentos negativos, achar episódios passados que fazem esse sentimento negativo aflorar, aplicar a técnica para cada episódio até “zerar” a carga emocional, passar para outro sentimento e fazer tudo de novo. Com um pouco de habilidade consegue-se zerar muitos sentimentos negativos e com isso há uma mudança natural no comportamento. A pessoa passa a agir sem autossabotagem, fazendo as ações que têm quer ser feitas, sem adiar, de forma natural e sem esforço.

Se você não está agindo assim precisa investigar o que ainda está pesando em você emocionalmente. Você pode se fazer as seguintes perguntas (Estas são apenas sugestões):

  • O que realmente gosto de fazer? Estou feliz com minha profissão? Que tipo de trabalho teria se soubesse que o meu sucesso seria garantido?
  • Do que me arrependo de ter feito na vida? Do que me arrependo de não ter feito?
  • Sou tranquilo? Me irrito com facilidade?
  • Tenho mágoas e raivas guardadas de alguém? Culpo pessoas que fizeram algo de negativo comigo por me sentir triste, ou com raiva ou…?
  • Quando penso em executar uma tarefa que adio constantemente, o que é que eu sinto? Será medo? Medo de quê?

Bom, são muitas as perguntas que podem ser feitas para que você descubra sentimentos negativos enterrados. Essas acima são apenas algumas. Cada uma delas pode fornecer bastante material para aplicar várias e várias rodadas de EFT (Clique Aqui e solicite o Manual Gratuito).

Um forte abraço!

André Lima.

PS.: Se você gostou desse artigo e acredita que esse conhecimento pode ajudar outras pessoas, então clica em Curtir em algum lugar dessa página. Vou ficar muito grato!