Eu prefiro as duas coisas. Mas existe uma crença que permeia a cabeça de muitas pessoas que diz que ou se tem uma coisa, ou se tem a outra. De onde será que vem isso? Talvez venha da culpa existencial, sentimento de não merecimento, não sei bem de onde vem mas surge como uma sensação e se reflete no discurso e atitudes de muitas pessoas. Por exemplo, a célebre frase muito dita “dinheiro não traz felicidade”. É realmente verdade, pois não traz mesmo. Mas pobreza traz menos ainda. Dinheiro e felicidade são duas coisas diferentes e que podemos ter ao mesmo tempo. É possível ser rico e ser feliz ou infeliz, assim como também é possível ser pobre e feliz ou infeliz. Uma coisa não está necessariamente ligada à outra.

Você prefere a sua perna, ou o seu braço? Se você tivesse que escolher, com qual deles você ficaria? Difícil saber? Mas não precisamos fazer esse tipo de escolha e dizer qual dos dois preferimos. Os membros têm funções diferentes que nos servem de forma diferente, e podemos ter todos eles.

Então porque criar frases, pensamentos que se baseiam na incompatibilidade em se ter as duas coisas? As crenças que guardamos é que alimentam isso. Não precisamos dessa exclusão. Melhor adotar o pensamento de que “podemos ter tudo que é bom ao mesmo tempo”.

Existem também outras crenças que deixam esses pensamentos de exclusão (Ou uma coisa, ou outra…) explícitas ou implícitas: “Não se pode ter tudo na vida”, “Sorte nos negócios, azar no amor”, “quando as coisas estão indo bem demais, algo acaba dando errado”, “sou pobre mas tenho saúde”.

A frase “não se pode ter tudo na vida” pode ser interpretada de duas formas. De um certo modo, pode conter uma lição mais profunda do tipo: “Eu não tenho tudo na vida, mas me sinto em paz e sou feliz mesmo assim”. Pensar assim é certamente muito bom, pois tem várias coisas que mesmo que a gente tente bastante, talvez jamais alcancemos. Mas normalmente esse dizer é interpretado de forma a limitar a nossa vida, nossas conquistas em várias áreas, e pode nos fazer desistir antes mesmo de tentarmos. Pode também trazer um conformismo e estagnação para alguém que poderia ter um potencial para grandes realizações. Pode ser utilizado para desencorajar a si mesmo ou a outras pessoas.

E porque será que não se pode ter tudo na vida? Questione. É proibido? Não é possível? Vai fazer alguém sofrer? Não é justo? É ganância? Não há o suficiente para todos? Você se sentirá culpado? É mais confortável sofrer como a maioria sofre? É melhor não se destacar da família para não causar raiva, inveja? Você tem medo de ser julgado, rejeitado, excluído se tiver uma vida melhor que as pessoas que convive (Amigos e família)? Muitas outras crenças e pensamentos ocultos podem estar por trás.

A frase que diz que “dinheiro não traz felicidade” pode servir também para nos confortar quando vemos alguém que tem muito mais do que nós. As vezes gostaríamos de ter mais, talvez até ter o poder aquisitivo daquela pessoa, mas não temos. Assim, ao olhar para a pessoa e constatar o sofrimento em que ela vive, isso nos conforta. É como se pensássemos: “Está vendo? Melhor mesmo é a minha situação, não tenho dinheiro mas sou feliz”. O ego pode se sentir diminuído ao ver alguém muito próspero, surgem sentimentos velados de inveja. Ao constatar a infelicidade da pessoa, o ego sente-se mais do que o outro dando uma aparente sensação de superioridade, e ele adora isso.

Fica ainda implícito nesse pensamento que o dinheiro pode trazer sofrimento e problemas. Por mais que você queira ganhar melhor, carregando crenças dessa natureza você irá se sabotar inconscientemente para não ter algo porque no seu íntimo isso pode acabar lhe proporcionando coisas ruins.

Adote o pensamento de inclusão: “Eu posso estar bem financeiramente, ter saúde e ótimos relacionamentos”. Talvez você ainda não tenha tudo isso ao mesmo tempo, mas o fato de você pensar que é possível já abre o caminho e elimina muito a auto sabotagem. As crenças que você carrega podem dizer pra você o contrário, mas elas são apenas um punhado de pensamentos ligados a uma energia negativa. Reconhecer as crenças é o primeiro passo para mudá-las. Depois podemos usar a EFT (Técnica para autolimpeza emocional – Clique Aqui e solicite o Manual Gratuito para aprender a eliminar emoções e Pensamentos negativos em minutos!) para dissolvê-las rapidamente.

Um forte abraço!

André Lima.

PS.: Se você gostou desse artigo e acredita que esse conhecimento pode ajudar outras pessoas, então clica em Curtir em algum lugar dessa página. Vou ficar muito grato!