Assistindo a uma série chamada “The Truth About Cancer” (A verdade sobre o câncer, em tradução livre minha) vi um médico falando o seguinte: “O dinheiro não está nas pessoas sadias. O dinheiro não está nas pessoas mortas. O dinheiro está nos doentes crônicos”. Essa foi uma frase marcante que ele utilizou para revelar a lógica por trás das formas de “tratar” as doenças pelo sistema convencional. Só que nem sempre a medicina foi assim.

Segundo o documentário, haviam faculdades de medicina nos Estados Unidos onde se ensinava técnicas de curas naturais como naturopatia, medicina com ervas e homeopatia até o final do século 19 e início do século 20. Essas abordagens levam o ser humano a se equilibrar mental, emocional, energeticamente, através de uma visão holística, o que leva a cura inclusive dos males físicos. Não havia uma única forma hegemônica de se praticar medicina.

A partir de uma determinada época a indústria passou a financiar as faculdades de medicina doando recursos que poderiam ser abatidos do imposto de renda. Isso tinha um ganho duplo. O primeiro, é que as empresas que financiavam ficavam bem vistas perante a sociedade por contribuir para o desenvolvimento da medicina. A segunda vantagem é que, quando alguém financia, esse alguém tem um grande poder pra decidir em que direção as pesquisas devem ser feitas.

Imagine uma companhia que fabrica medicamentos químicos e que doa 20 milhões de dólares pra pesquisa. Pra onde você imagina que ela vai direcionar as pesquisas? Obviamente, pra “solução” das doenças através de medicamentos que ela mesma fabrica.

Não faria o menor sentido uma empresa que vende medicamentos doar um valor pra pesquisa e dizer: “Nós queremos que vocês usem esse dinheiro da melhor maneira possível, e podem inclusive desenvolver uma forma de cura natural que não envolva nenhum tipo de química”. A indústria farmacêutica, como qualquer outra, precisa dar lucro e mostrar resultados pros acionistas.

A vasta maioria dos medicamentos que são fabricados são derivados de petróleo. Eu não sei se você já sabia disso, mas eu não fazia a menor ideia até ver esse documentário e confirmar com pesquisas que fiz na internet.

A indústria do petróleo, que era monopolizada pelo grupo Rockefeller nos Estados Unidos, descobriu que poderia manipular, através da química orgânica, as moléculas do petróleo e transformá-las em milhares de outros compostos químicos que poderiam ser patenteados. E assim foram criadas as drogas patenteadas.

As fundações Carnergie e Rockefeller, abraçaram a missão de reformar os cursos de medicina e estabelecer “a melhor forma” de se praticar medicina. A princípio poderia parecer uma coisa altruísta, mas, o que aconteceu foi o estabelecimento de um grande monopólio da medicina baseada na utilização unicamente de medicamentos químicos.

Uma outra coisa que é importante observar é que não tem como se ter um grande lucro com produtos naturais por que eles não podem ser patenteados. Um medicamento, pra que ele seja patenteado, tem que obrigatoriamente ser uma substância que não é encontrada na natureza.

Por isso a indústria não vai ter o menor interesse em financiar pesquisas com substâncias naturais.

A partir dessa mudança na medicina tudo o que era natural e não baseado em medicamentos químicos passou a ser gradativamente considerado como algo não científico e atrasado. As práticas naturais foram perdendo força e muitos profissionais dessa área chegaram a ser perseguidos. Com o passar do tempo a medicina alopática passou a ser “A Medicina”.

Além de exercer uma influência poderosa no que é ensinado nas faculdades, a indústria bilionária começou a financiar políticos e passou a ter representantes defendendo seus interesses infiltrados no congresso e no poder executivo.

Felizmente as práticas naturais e os conhecimentos holísticos estão voltando e ganhando força. Ninguém aguenta mais tantas doenças, tantos remédios. As pessoas estão acordando pra entender que não é normal adoecer e permanecer doente tomando medicamentos químicos pelo resto da vida, e que o corpo pode se curar, desde que você dê a ele condições pra isso.

Curar as emoções negativas acumuladas é fundamental pra aumentar a imunidade, regular hormônios, aprofundar o sono, melhorar a química do cérebro e aumentar a saúde. O aumento na saúde emocional reflete diretamente na melhora da saúde física.

Pra curar essa emoções negativas a EFT (Clique Aqui e solicite o Manual Gratuito) é uma das técnicas mais simples, rápidas e eficientes. Através dela é possível curar emoções como medo, mágoa, culpa, trauma, rejeição, abandono, tristeza e outras além de pensamentos e emoções negativas. E logo após baixar o Manual, você ainda vai receber uma aula em vídeo, passo a passo, que vai facilitar ainda mais o seu aprendizado.

Um forte abraço!

André Lima.

PS.: Se você gostou desse artigo e acredita que esse conhecimento pode ajudar outras pessoas, então clica em Curtir em algum lugar dessa página. Vou ficar muito grato a você!