No artigo passado escrevi sobre “A Importância do Autoperdão“, deixando claro as consequências negativas quando não nos perdoamos pelos erros cometidos. Conforme explicado, dentre as consequências nocivas, tendemos a nos punir inconscientemente prejudicando ainda mais a nossa vida.

Na teoria, temos consciência que seria muito bom se nos perdoássemos. Mas o que acontece com a maioria é que, mesmo sabendo disso racionalmente, ainda guardamos raiva de nós mesmos, arrependimento, mágoa… Não basta apenas dizer da boca pra fora que se perdoou, o mais importante é sentir que não existem quaisquer sentimentos negativos guardados em relação a si próprio ao lembrar do “Erro cometido”. Somente aí é que o autoperdão se torna real e estaremos livres.

Ao usarmos a EFT (Técnica para Autolimpeza Emocional – Clique Aqui e solicite o Manual Gratuito para aprender a eliminar emoções e pensamentos negativos em minutos!), conseguimos dissolver de forma profunda, e normalmente bem rápida, as emoções negativas. Por isso, a técnica é excelente para que possamos nos libertar da culpa, mágoa ou raiva de nós mesmos, e assim atingir uma sensação de paz interior em relação aos erros que cometemos. Vamos ver nesse artigo como usar a EFT para atingir esses resultados.

É possível utilizar a técnica para qualquer lembrança que traga desconforto emocional: Um aborto, uma briga,  algo que você fez ou deixou de fazer e que se arrependeu ou se sente culpado, algo que você disse pra alguém, uma falha cometida com os filhos ou outros familiares, erros cometidos no trabalho, um investimento mal sucedido, uma decisão errada, uma injustiça que você cometeu.

Para que você possa utilizar a técnica, é preciso inicialmente que você identifique o fato que traz essa sensação desconfortável em relação a você mesmo. Depois de identificado o evento, você deve lembrar do ocorrido e vai deixar vir à tona todos os sentimentos negativos. Preste bem atenção no que surge e identifique os sentimentos: Culpa, raiva, mágoa, medo, tristeza, arrependimentos… Colocar tudo no papel ajuda bastante. Escreva o nome da emoção (Ou das emoções) que surge(m), e identifique também as razões, ou seja, os pensamentos que justificam cada sentimento. Quando tiver tudo isso listado no papel, você terá um bom material para começar a aplicar a EFT. Vou exemplificar melhor.

Vamos supor que uma mulher que tenha feito um aborto e chega ao consultório para tratar as emoções ligadas a esse fato. (Obs.: Escolhi exemplificar com esse tema pois é um problema muito comum e que traz sérias consequências emocionais para muitas mulheres. Esse assunto surge bastante como pano de fundo para uma série de problemas emocionais que a pessoa nem imagina que foram causados pelo aborto; na verdade, causados pela culpa e todos os sentimentos gerados pela prática deste ato.). A pergunta que vou fazer inicialmente é, “Qual o sentimento mais intenso que vem à tona ao pensar no aborto?” Ou então, “Qual é a pior coisa que você sente ao pensar no aborto?” A resposta pode ser algo do tipo: “Sinto uma tristeza, uma sensação de culpa também…”. Deixo a pessoa falar mais um pouco e faço mais perguntas  para estimular que surjam mais pensamentos e sentimentos negativos. Pode surgir muita coisa ligada à religião e/ou espiritualidade: “Interrompi uma vida…”; “Tenho medo das consequências”. “Fico imaginando como seria a criança hoje, a idade que teria”. Podem surgir também sentimentos em relação a terceiros: “Tenho raiva do meu ex namorado que não quis assumir”; “Tenho raiva dos meus pais que não me deram apoio”.

Com esses pensamentos e sentimentos iniciais,  já podemos começar a aplicar EFT. Vamos formular a rodada:

Frase de preparação: “Mesmo que eu me sinta culpada ao pensar que fiz um aborto, eu me aceito profunda e completamente” – Repete 3 vezes enquanto bate no ponto do karatê.

Topo da cabeça: Eu me sinto culpada

Inicio da sobrancelha: Eu sinto uma tristeza

Lateral do olho: Fico imaginando como seria o meu filho

Embaixo do olho: Se seria menino ou menina

Embaixo do nariz: Me sinto culpada

Embaixo do lábio inferior: Eu interrompi uma vida

Osso da clavícula: Tenho medo das consequências

Embaixo da axila: Eu sinto uma tristeza

Topo da cabeça: Não tenho como voltar no tempo

Inicio da sobrancelha: Na época não via outra solução

Lateral do olho: Eu me sinto culpada

Embaixo do olho: Tenho raiva de fulano que não quis assumir o filho

Embaixo do nariz: Tenho raiva dos meus pais que não me apoiaram

Embaixo do lábio inferior: Eu sinto uma tristeza

Osso da clavícula: Me sinto culpada

Embaixo da axila: Não tem como voltar atrás.

As emoções negativas que estão por trás dessas frases vão sendo dissolvidas durante a aplicação da  técnica. Isso vai modificar a forma como a pessoa pensa e sente a respeito do problema. Por isso, precisamos investigar o que se passa no seu interior logo depois da primeira rodada.

Após a rodada vamos perguntar: O que você está sentindo agora? E por que está sentindo isso? Pode ou não surgir mais sentimentos e pensamentos diferentes dos iniciais. É preciso perguntar e deixar que as repostas surjam, pois as pessoas tendem a responder automaticamente sem prestar atenção ao que se está sentindo. Colhemos as repostas e elaboramos uma nova rodada. Algumas frases permanecem, outras são modificadas, já outras são eliminadas da rodada. Isso ocorre porque as emoções vão se dissolvendo a cada rodada.

Devemos aplicar quantas rodadas forem necessárias até que a pessoa sinta total paz interior ao relatar o fato, isso significa não sentir mais culpa, tristeza, mágoa, arrependimento… Nada. Quando chegar nesse ponto, teremos então atingindo o autoperdão. Isso pode ser alcançado em poucas rodadas, mas também pode ser que exija paciência e persistência.

Para saber se realmente chegamos onde queremos, posso formular uma frase de teste. Por exemplo, posso pedir para a cliente dizer: “Mesmo achando que foi um erro que eu cometi, eu me perdoo incondicionalmente”. Depois da frase dita, eu pergunto se soou verdadeiro ou se houve alguma resistência interior. Se houver alguma resistência, fazemos mais EFT para quebrá-la, até que a pessoa consiga dizer a frase sentindo nela uma verdade absoluta.

Bem, este foi um exemplo de como podemos usar a EFT para limpar sentimentos que nos impedem de nos perdoarmos. Adapte e use o conhecimento adquirido para aplicar para os seus problemas específicos.

 

Um forte abraço!

André Lima.

 

PS.: Se você gostou desse artigo e acredita que esse conhecimento pode ajudar outras pessoas, então clica em Curtir em algum lugar dessa página. Vou ficar muito grato!