A forma como nos sentimos a respeito de nós mesmos tem reflexos importantes na nossa qualidade de vida e influencia bastante, inclusive, a nossa vida financeira: O quanto ganhamos no presente, o quanto podemos ganhar no futuro e o quanto gastamos.

A maneira como a pessoa se relaciona com o dinheiro (O quanto ela ganha, gasta e como vive) pode nos revelar vários aspectos da sua autoestima.

Parece um tanto óbvio. Quanto melhor minha autoestima, mais eu me sinto competente e merecedor, e, sendo assim, vou aproveitar melhor as oportunidades que surgem. Melhor ainda, vou criar oportunidades (Aliás, em outro momento, vou escrever um texto sobre isso: “Criar oportunidades ao invés de esperar”. Isso se reflete na vida pessoal e profissional e termina trazendo um maior retorno financeiro.

Vou exemplificar melhor como problemas na autoestima podem influenciar nos ganhos de alguém. Eu trabalhava como engenheiro, tinha minha própria empresa. Depois de um processo emocionalmente bem complicado, comecei a buscar várias terapias para cuidar de mim mesmo, até que conheci a EFT (Técnica para Autolimpeza Emocional – Clique Aqui e solicite o Manual Gratuito para aprender a eliminar emoções e pensamentos negativos em minutos!). Foi quando decidi mudar de profissão, pelos resultados que eu via a técnica proporcionar, e pela facilidade que tinha em utilizar o método.

Pois bem, procurei pessoas que conhecessem a técnica aqui em Recife, não tinha ninguém. No Brasil inteiro, fuçando pela internet, raríssimas pessoas conheciam a EFT. Comecei  a pensar em ministrar cursos. Mas logo me vinham pensamentos do tipo: Quem sou eu pra me meter a ensinar? Tem gente melhor que eu, mais competente, mais experiente, eu sou muito novo, e isso e aquilo… Assim eu ficava buscando outras pessoas que pudessem ministrar cursos, que tivessem interesse de se juntar a mim, e não encontrava.

Comecei a ficar mais atento aos pensamentos que eu estava tendo a meu respeito. Racionalmente comecei a analisar e pensar: “Eu entendo da técnica, tenho vontade de ensinar, sei que muita gente vai se beneficiar e gostar assim como eu gostei. Então, por que não eu mesmo começar a ensinar?” Usei a própria EFT para melhorar os pensamentos, para sentir emocionalmente que era possível, e não só no nível racional. E foi o que aconteceu.

Passei a escrever textos, criei um Manual Gratuito (Quem era eu pra pensar em escrever e ensinar as pessoas???). Hoje quem conhece a EFT no Brasil, provavelmente já ouviu falar meu nome, ou, conhece meu site, minha página no Facebook e meu canal no YouTube. E tudo partiu de uma melhora no meu próprio pensamento, na minha autoestima. Se eu ficasse preso no pensamento anterior, hoje poderia estar reclamando: “ah como é difícil ganhar melhor”.

Gosto de citar o meu exemplo para demonstrar que  qualquer pessoa que tenha uma autoestima baixa pode mudar certos pontos e começar a viver uma vida bem melhor. A EFT ajuda a fazer essa mudança de uma forma muito mais fácil e rápida. Ainda bem que reconheci minhas dificuldades e assim pude usar a ferramenta para o meu benefício.

Quando você começar a pensar “por que justamente eu para esse cargo, esse trabalho melhor, esse salário mais alto…?” Inverta o pensamento e pense “e por que não eu?” Se dê a chance, se torne um bom merecedor e recebedor.

Observe se você anda justificando, arranjando desculpas e razões que parecem bem plausíveis e verdadeiras para você se manter no patamar que você está financeiramente. Nossa mente consegue pensar em todo tipo de “prova” de que é difícil ou impossível mudar: Eu sou muito novo, eu sou muito velho, fulano que tem muito mais experiência não conseguiu, a situação do país é difícil, eu não tenho dinheiro pra investir, eu preciso me preparar mais, tem que ter muita sorte, tem gente muito melhor que eu, eu não tenho sorte, essa profissão ganha pouco mesmo e etc… A maioria pensa, pensa, pensa, e não toma as atitudes para mudar, até porque nem acredita que é possível, acha que depende de sorte ou do acaso.

Algumas pessoas ganham bem, mas não conseguem ter uma vida financeira equilibrada. Outras chegam a viver uma situação caótica, mesmo com uma renda excelente.

Tive uma cliente que se mantinha numa situação financeira bem apertada. Investigando um pouco e descobrindo aspectos emocionais sérios de autoestima, foi fácil entender o porquê. Passava horas no telefone (Ligando pra celular, inclusive) pagando contas exorbitantes. O motivo? Não conseguia ficar sozinha, se sentia abandonada, o telefone era como um vício para aliviar a solidão. Ajudava financeiramente vários familiares que, na verdade, podiam muito bem se virar sozinhos. O motivo? Medo de ser rejeitada, culpa, pena das pessoas, não conseguir se colocar em primeiro lugar… Com uma autoestima desse jeito, mesmo tendo um aumento de 100% no salário, a pessoa dá um jeito de continuar apertada; é só gastar mais… E isso é sempre possível.

Acho o tema financeiro muito interessante. Está diretamente ligado à parte emocional, mesmo que isso pareça estranho. O patamar financeiro é também fortemente influenciado por crenças e sentimentos que as pessoas têm com relação ao dinheiro. Tenho vários artigos sobre esse tema no meu site. Este ano vou lançar um curso sobre prosperidade e como usar a EFT (Clique Aqui e solicite o Manual Gratuito) para trabalhar esse tema.

Um forte abraço!

André Lima.

PS.: Se você gostou desse artigo e acredita que esse conhecimento pode ajudar outras pessoas, então clica em Curtir em algum lugar dessa página. Vou ficar muito grato!